Postado no dia Outubro 30, 2017

Os joelhos sujos,

A roupa amarrotada,

Crianças gritando

Pela calçada.

Andar de bicicleta

Por toda a praça

Da piada mais boba

Morrer de achar graça.

Escolher um filme

Na locadora

A poltrona da sala

É tão acolhedora!

Jantar com a família

E depois sobremesa

Todos reunidos

Ao redor da mesa

Sentar no tapete

Brincar no chão

Ser feliz faz bem

Para o coração.

No dia seguinte

Recomeçar

Quanta coisa boa

Pra gente lembrar!

A inocência

De ser criança

Ouvir qualquer som

E cair na dança.

Tomar sorvete

Apostar corrida

Rodopiar

Feito doida varrida.

Aquela intriga

Não dura um dia

Porque ser criança

É só alegria.

Hoje, adulta

Lembro feliz

De cada minuto,

De tudo o que fiz

E posso dizer

Sem medo de errar

Meu maior tesouro

É poder lembrar.

E se o tempo age

Com tanta maldade

Eu me resguardo

E lembranças guardo

No baú da saudade.

 

(Bia Lopes)

Bia Lopes Bia Lopes é publicitária e trabalha atualmente em uma assessoria de comunicação. Nas horas vagas, gosta de observar o mundo e descreve-lo neste blog.
Mais em Vida & Poesia
  • Só vejo uma grande verdade Nesse ditado primordial: Não há no mundo quem possa Colher…

  • Uma amiga me falou: “Alguns amores são impossíveis, Então fazemos um grande esforço Pra que…

  • As pessoas me perguntam: Como não perder a esperança? Como continuar acreditando Assim, com a…

  • Moça, ele não é perfeito, Eu sinto te dizer, Mas algumas vezes, quando sofremos, Fazemos…

  • “Qual o sentido da vida?” Alguém me perguntou. “Por que estamos aqui?” Apreensiva, ela indagou….

  • Últimas Histórias
    Ver todos os posts