Ananda

De filha pra mãe

Posted on Posted in Vida & Poesia

Há alguns dias que não durmo pensando neste momento, em mim há um turbilhão de tanto sentimento.
Para mim você é a pessoa mais importante. Meu medo é destruir tudo isso em um instante. Porém, eu preciso abrir o coração.
Chega de viver em meio a tanta ilusão. Então, chegou a hora, preciso te falar. Você vai me amar menos depois que eu te contar?

Não sei se você está mesmo preparada, por isso tenho andado assim, tão preocupada. Mas é necessário agir com sinceridade, foi você que me ensinou a dizer só a verdade. Mãe, o amor é lindo em todas as suas formas, porém, a sociedade tem ditado algumas normas. Somos apedrejadas apenas por amar, mas ninguém se coloca em nosso lugar.

A verdade é que nos julgam bastante diferentes. Amamos quem é igual e isso ofende a muita gente. Porém, nós não fazemos nenhum mal a ninguém. Será tão errado amar assim a outro alguém? Talvez você um dia tenha sonhado que de vestido branco eu tivesse me casado. Será tão ruim assim se ao invés de estar casada eu te apresentar à minha namorada?

Mãe, por favor, antes de um julgamento entenda que é normal o nosso relacionamento. Não é rebeldia, nem imoralidade. Não faça como a nossa tão cruel sociedade. Já é muito difícil  falar pra você, assim. Até em minha vida já pensei em pôr um fim, mas lembrei de você e de tudo o que me ensinou e nesses anos todos que de mim você cuidou. Então, minha mãe,  desisti de desistir.
Você sempre me falou: “Tente até conseguir”. Hoje eu consegui abrir o meu coração. Mas, e agora, você me estenderá a mão?

Continuarei a ser sua filha querida ou não poderei mais fazer parte da sua vida? Mãe, por favor, eu sou a mesma pessoa, a filha que você sempre disse ser tão boa. Sempre fomos amigas na nossa cumplicidade, não me diga que o amor era só pela metade. Eu sei que mundo afora muita família rejeita, mas se esse for seu caso, então ao menos me respeita. Por favor, me entenda e aceite o meu jeito. A forma como eu amo não é nenhum defeito, então me deixa ser! Se você me ama poderá me compreender.

Não importa o mundo inteiro me julgando anormal se teu amor por mim for incondicional. Desculpa se causei uma grande decepção, mas também dói muito aqui, em meu coração, por eu não ser exatamente do jeito que você quer. Você não me imaginava amando outra mulher. Então me responda se vai me mandar partir ou se ao teu lado a vida posso prosseguir. Porque suportarei toda e qualquer dor, mas doerá pra sempre se eu, vindo do teu ventre, não tiver mais teu amor.

(Bia Lopes)

Nota: o texto aqui escrito foi solicitado por uma leitora. Ela queria algo que a ajudasse a contar para a mãe dela sobre a sua sexualidade. Estou muito feliz em saber que deu tudo certo. A identidade da leitora não será revelada.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *