Postado no dia Junho 16, 2019

A todos os meus ex, decidi escrever estas palavras e as fiz de coração. Sei que talvez agora não faça sentido falar sobre isso, afinal, já faz um certo tempo e de alguns de vocês eu sequer tenho notícias. Outros fazem questão de me lembrar vez ou outra que passaram pela minha vida. E já que me lembraram, precisam saber.

Durante muito tempo guardei mágoas, remorsos, arrependimentos. Senti raiva, rancor e uma certa revolta, até. E demorou muito tempo para que eu pudesse me libertar. Demorou o tempo de eu entender que antes de tudo eu precisava me perdoar.

Sim, eu me pedi perdão. 

Perdão por aceitar tão pouco de alguns de vocês e achar que era suficiente. Eu precisei me perdoar por acreditar que aquele seria o amor perfeito, a grande história da minha vida, quando na verdade estava apenas metendo os pés pelas mãos. E que bela coleção de ex eu tenho hoje!

Cada um de vocês me marcou de uma maneira diferente, mas todos tiveram algo em comum: se aproveitaram da minha fragilidade, do fato de não saber amar e confundir amor com submissão. Todos vocês se aproveitaram da minha lealdade, do meu companheirismo e usaram isso apenas em favor de si mesmos.

Alguns de vocês me presentearam com tortura psicológica, com agressão física, mas disseram que era tudo por amor. E eu ainda não tinha maturidade para saber diferenciar. Por isso mesmo, vocês puderam se aproveitar. Levaram de mim o que eu ainda sequer tinha conseguido construir – autoestima, amor próprio, liberdade, felicidade. E o pior: fizeram com que eu acreditasse que era tudo culpa minha.

Mas olhem bem, caros ex,

Prestem muita atenção. Apesar de todo o mal que me fizeram, no fim das contas tudo ficou bem. Por mais que pareça estranho dizer isso, tudo o que vocês me fizeram, ao invés de me destruir, me transformou. Passei de menina ingênua a mulher decidida. Me digam se tem coisa melhor na vida?

Todas as vezes que vocês me mandaram para o fundo do poço eu aprendi a me reerguer, mas com uma diferença: eu levantei mais forte. Eu aprendi a perceber que não merecia tão pouco, que vocês não estavam à altura da mulher que me tornei. E foi justamente por isso que eu me perdoei.

Aquela menina insegura, que morria de medo de ficar sozinha, hoje não troca sua própria companhia por nada nesse mundo. E foi graças a vocês que percebi que não preciso mendigar a atenção de ninguém. Eu me descobri uma mulher incrível, maravilhosa, cheia de vontade de viver. e que bom que alguns de vocês ainda estão aqui para ver.

Hoje posso dizer de coração

Que meu sentimento é de gratidão. Sou grata a vocês por tudo o que me fizeram. Cada palavra negativa, cada torcida contra, cada dúvida sobre a minha capacidade só me dão hoje o prazer de mostrar a verdade. Cheguei aonde muitos de vocês não acreditaram e sei que posso ir mais. Relacionamento abusivo? Nunca mais! Obrigada pelo alerta, pelas lições, por tudo o que não foi. Eu dei o xeque-mate nesse jogo de xadrez e só posso encerrar esse ciclo dizendo: obrigada, ex.

 

Por Bia Lopes.

Bia Lopes Bia Lopes é publicitária com 9 anos de atuação como coordenadora de marketing em assessoria de comunicação. Cordelista, publicou a trilogia Ana Lísias em Cordel, obra dedicada ao público feminino. Também formada em Gestão de Recursos Humanos e trabalha com desenvolvimento humano por meio de palestras, minicursos e capacitações. Ativista da causa animal e apaixonada pela vida. Nas horas vagas, gosta de observar o mundo e descreve-lo neste blog.
Mais em Entre Palavras
  • A todos os meus ex, decidi escrever estas palavras e as fiz de coração. Sei…

  • Não brigue por um amor, Não queira e nem faça questão. Pra que lutar por…

  • Depois que você foi embora Tudo mudou de lugar. Eu sei que a vida continua,…

  • Tem sempre aquela pessoa que chega e faz a diferença, que muda todas as cores…

  • Minha pretensão era escrever esta carta enquanto você ainda podia tê-la em mãos. Não sei…

  • Últimas Histórias
    Ver todos os posts

    Youtube

    "Eu não consigo" e o poder da autossabotagem

    Gratidão e recomeço. Bem-vindo, 2019!

    Não veja esse vídeo

    Aprenda a ficar sozinha

    Mulheres & Novelas

    Moda é ser livre (e respeitar o próprio corpo)