Se tem uma coisa que costuma incomodar a gente é a opinião de outra pessoa sobre nós. Mas por que será que aquilo que os outros pensam pesa tanto pra gente? Por que levamos em consideração a opinião de terceiros quando poderíamos simplesmente não ligar? Complicado, não é mesmo?

O fato é que venho refletindo bastante sobre isso, afinal passei a vida inteira sofrendo por causa da opinião alheia. Não foram poucas as vezes em que me peguei chorando por causa de um feedback desnecessário (e geralmente não verdadeiro) ao meu respeito. Sim, a gente sofre quando as pessoas dizem coisas negativas sobre nós. Mas haverá uma maneira para lidar com isso? Como sair ilesa da tempestade de críticas ao nosso redor? Bom, acho que agora é a hora em que descobrimos juntos a resposta.

Qual é a sua opinião?

Para entender direitinho essa situação é preciso primeiro compreender o que está por trás dessa chuva de negatividade que vem em nossa direção. Em primeiro lugar vamos observar a nós mesmos. Costumamos reconhecer o lado positivo dos outros ao invés de criticar? Será que em boa parte das vezes não assumimos a postura do crítico e pior: o fazemos de maneira gratuita, sem sermos consultados?

Se a resposta é sim está na hora de você perguntar a si mesmo por que tem assumido essa postura. Há algo que realmente justifique? Olha, eu não sou especialista nessa área, mas acredito que seja bem possível que as críticas negativas sejam uma maneira de nos autoafirmarmos diante dos outros. Porém, que maneira mais doentia de conseguir essa autoafirmação, não?

É como se precisássemos que o outro fosse menor para nos sentirmos grandes. Como se ele nos representasse uma ameaça, como se nos ofuscasse diante de suas qualidades, então partimos para apontar o negativo. E o mesmo acontece com muitas pessoas, de um modo geral. Criticar para que você pareça melhor. Apontar defeitos para que os seus sejam camuflados. Triste, né? Mas é a realidade. Bom, ao menos uma parte dela.

Outro ponto é que realmente muitas vezes a gente só consegue ver o lado ruim, os defeitos, enfim; não sabemos ver o que o outro nos apresenta de bom e positivo, mesmo que seja muita coisa. Nesse caso não conseguimos enxergar que o problema maior é conosco e não com ele. É doentio não ver nada de bom nas outras pessoas. Não seria a hora de lavar bem a sua vidraça?

Mas por que a opinião dos outros pesa tanto na sua vida?

Bom, agora que já temos uma certa consciência das nossas atitudes, passamos a entender também que quando os outros falam mal de nós é porque não querem aceitar o nosso lado positivo, não compactuam com nosso crescimento, nosso sucesso e nossa felicidade. Aí pisa no calo, né? Quem não quer aprovação, seja lá de quem for?

Vivemos em sociedade e fomos ensinados ao longo da história que precisamos do parecer de outras pessoas para quase tudo na vida. Só que não é bem assim. Na verdade, o que a gente precisa ter é humildade para aceitar as críticas construtivas, avaliar as negativas e melhorar o que precisa. E só. Mas daí a aceitar tudo o que dizem sobre nós, seja bom ou ruim, tem uma boa estrada pela frente.

Como lidar com a opinião alheia?

Bom, em primeiro lugar precisamos entender uma coisa: se tudo o que dizem sobre nós acaba nos afetando, há um sinal de alerta aí. Autoestima em alerta vermelho. Sim, é isso mesmo, não adianta negar. Primeiro porque se você está bem consigo mesmo, se conhece suas qualidades e reconhece seus valores não será a opinião de qualquer pessoa que poderá te deixar na corda bamba, certo?Então, é hora de dar aquela blindada no ouvido, deixar falarem o que quiserem e não se render a comentários negativos.

Outra coisa que você deve levar em consideração é quem está criticando e por quê. Isso porque de repente a crítica vem de algum amigo que realmente quer te ver bem e que teve um olho clínico para aquela situação, então está cumprindo o papel dele de te jogar a real pra você não passar vergonha ou vexame.

Agora, se a crítica tá vindo daquela pessoa nada a ver ou se você conseguiu captar que ali foi uma crítica de recalque, vazia, sem nenhum propósito real, então o jeito é ignorar, sair de perto, deixar a criatura falando sozinha. E fazer isso funciona bem mais do que ficar de bate-boca, acredite.

 

Hora de aliviar o peso

Finalmente, né? Pois bem, chegou a hora da gente saber exatamente o que fazer com essa opinião penetra, que não é bem-vida. Olha, parece difícil, mas há algumas opções pra te libertar desse peso desnecessário. Vamos lá?

Trabalhe diariamente a sua autoestima. Reconheça suas qualidades, seus valores e sua beleza. Ninguém pode tirar isso de você;

Comece a cortar opiniões desnecessárias e que não foram pedidas. Jogue a real peça pra pessoa guardar a opinião para ela, afinal só a ela pertence;

Entenda que os pensamentos e opiniões dos outros pertencem a eles e não a você;

Aprenda a filtrar opinião construtiva de destrutiva. Não aceite gratuitamente a negatividade de ninguém;

Comece a se policiar sobre como você critica os outros. Às vezes a pessoa pode só estar te devolvendo na mesma moeda;

Não leve tão a sério o que os outros pensam. O que vale de verdade é o que você pensa sobre si mesmo.

 

No mais, entenda que nem sempre as pessoas pensarão igual a você ou terão a sua percepção. Mas cabe a cada um respeitar o outro, ser gentil e agir positivamente. Nenhuma qualidade minha pode diminuir outra pessoa e vice-versa. É necessário dar adeus às inseguranças e entender que todo mundo tem suas qualidades, seu espaço e que o sol nasce para todos. A questão é que alguns usam filtro solar, outros apenas se permitem queimar.

 

(Bia Lopes)

 

Gostou do texto? Então aproveita pra compartilhar nas redes sociais e ajudar aqueles amigos que estão super inseguros! Ah, e na minha opinião você deveria seguir as nossas redes sociais. Só acho, hahaha!

 

Bia Lopes Bia Lopes é publicitária com 9 anos de atuação como coordenadora de marketing em assessoria de comunicação. Cordelista, publicou a trilogia Ana Lísias em Cordel, obra dedicada ao público feminino. Também formada em Gestão de Recursos Humanos e trabalha com desenvolvimento humano por meio de palestras, minicursos e capacitações. Ativista da causa animal e apaixonada pela vida. Nas horas vagas, gosta de observar o mundo e descreve-lo neste blog.
Mais em Cotidiano
  • Se tem uma coisa que costuma incomodar a gente é a opinião de outra pessoa…

  • Se há um assunto que vem atormentando uma certa turma é essa história de passar…

  • A pergunta pode parecer óbvia, mas, e a resposta? Será que vocês estão mesmo conectados…

  • Não são raras as vezes em que somos espaçosos: ocupamos tempo demais, espaço demais, alugamos…

  • “Ele não me deixa mexer no celular dele”. A frase, que poderia ter vindo de…

  • Últimas Histórias
    Ver todos os posts

    Youtube

    "Eu não consigo" e o poder da autossabotagem

    Gratidão e recomeço. Bem-vindo, 2019!

    Não veja esse vídeo

    Aprenda a ficar sozinha

    Mulheres & Novelas

    Moda é ser livre (e respeitar o próprio corpo)